Lançamento: “Vou jogar meu amor na tua cara” – um disco de composições de Eulícia

A compositora Eulícia lança seu primeiro trabalho, “Vou jogar meu amor na tua cara”, no dia 12 de agosto em todas as plataformas digitais. Para a empreitada, convidou vários intérpretes contemporâneos que emprestam suas vozes para emoldurar as canções compostas por ela. Assim, um time de primeira linha formado por Almério, Ana Costa, Caio Prado, Fred Martins, Illy, Juliana Linhares, Lívia Nestrovski e Fred Ferreira, Marcos Sacramento, Patrícia Bastos, Pedro Miranda, Salomão Soares, Soraya Ravenle e Vidal Assis estão presentes no disco com seus timbres e interpretações marcantes. Com direção artística de Phil Batiste e da própria Eulícia e produção musical e arranjos de Elísio Freitas, o álbum celebra também o primeiro lançamento do selo musical Areia Música.

Capa de “Vou Jogar Meu Amor Na Tua Cara”

SOBRE O DISCO


Eulícia compôs sozinha as dez faixas que compõem o disco. São dez faixas que revelam uma compositora curiosa e atenta, passeando por diversos gêneros musicais, e que conduz o ouvinte a temas de amor. 

Como ela mesma define: “A temática do amor permeia todas as canções. Um amor que arrebata (Lava de vulcão) e se desdobra em sonho (De repente), ironia (Já deu), memória (Xote italiano) e esperança (Tempo ao tempo). Desdobra-se também em gêneros musicais diversificados (samba, bolero, milonga, xote…) e arranjos ora intimistas, quase minimalistas, ora mais pujantes. A presença de elementos eletrônicos em quase todas as faixas nos remete à estética da chamada “MPB contemporânea” e aos artifícios tecnológicos do nosso tempo. Mas sem comprometer a ternura (jamais). O disco não deixa de ser romântico, mas é romântico com atitude e até com bom humor”.

O crítico Leonardo Lichote complementa, ao falar sobre o disco no release:  “É comum a expressão “disco de intérprete”, na qual um cantor ou cantora passeia por um repertório que não compôs. Pois “Vou jogar meu amor na tua cara” é um “disco de compositora”. É profundamente de Eulícia a voz expressa ali nos versos e melodias que ela assina sozinha, sem parceiros. Mas eles se revelam pelas cordas vocais de outros”. 

SOBRE EULÍCIA

Jornalista e gestora cultural. Foi assistente de pesquisa de Sérgio Cabral, o pai, que, aliás, prefaciou um livro que escreveu em 1996: “Acordes e acordos, a história do Sindicato dos Músicos do Rio de Janeiro. 1907 – 1942” (Editora Multiletra). Foi produtora cultural, funcionária do SESC e, desde 2006, é servidora do Centro da Música da Funarte (atualmente, coordena a área de Música Popular). Nesses 15 anos de gestão pública da música, coordenou muitos projetos (o último Projeto Pixinguinha, por exemplo) e debates sobre os caminhos das políticas públicas para o setor. Foi, ainda, durante dez anos, professora do curso de graduação em Produção Cultural da Universidade Cândido Mendes. Tenho mestrado em Bens Culturais e Projetos Sociais (CPDOC/FGV) e, em 2018, defendeu a tese de doutorado “Praça Onze: a invenção do berço do samba” no Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ.  Ao longo de toda sua vida, foi compondo canções. Algumas delas estão reunidas no álbum que chega agora às plataformas digitais.

Eulícia

FICHA TÉCNICA


Título: Vou Jogar Meu Amor na Tua Cara (Areia Música)

Direção artística: Eulícia e Phil Baptiste

Produção musical e arranjos de todas as faixas: Elisio Freitas (exceto a faixa “De repente”, produzida por Luís Filipe de Lima e arranjada por Salomão Soares).

Mixagem: Fernando Rischibieter

Masterização: Bruno Giorgi

Capa: Suzane Lopes


01. Lava de Vulcão

Eulícia: composição

Almério: voz

Caio Prado: voz

Lúcio Vieira: bateria

Federico Puppi: cello

Elisio Freitas: drum machine, programações, percussões, sintetizador, baixo synth e guitarras

02. Era uma vez

Eulícia: composição

Lívia Nestrovski: voz

Fred Ferreira: guitarras

Elisio Freitas: violão

03. Sonhadeira

Eulícia: composição

Patrícia Bastos: voz

Elisio Freitas: viola caipira, violão, baixo, guitarra, sintetizadores,

Boka Reis: percussão

Eulícia, Mariana Moraes e Soraya Ravenle: coro

04. Já deu

Eulícia: composição

Illy: voz

Federico Puppi: Violoncelo

Elisio Freitas: percussão, baixo, guitarras e arranjo de cordas

05. Equilíbrio Vacilante

Eulícia: composição

Juliana Linhares: voz

Marcos Sacramento: voz

Elisio Freitas: baixo, programações de drum machine, processamentos, guitarras

Lúcio Vieira: bateria

06. Alma

Eulícia:composição

Fred Martins: voz

Elisio Freitas: percussão, guitarra, baixo, rabeca, backing vocal

07. Rewind

Eulícia: composição

Soraya Ravenle: voz

Elisio Freitas: piano, baixo, guitarra e processamentos

Lúcio Vieira: bateria

08. Tempo ao tempo

Eulicia: composição

Ana Costa: voz

Elisio Freitas: violão aço, violão nylon, baixo, drum machine, guitarra

Joana Queiroz: clarinete e arranjo de clarinetes

Bernardo Aguiar: percussão

09. Xote Italiano

Eulícia: composição

Pedro Miranda: voz

Elisio Freitas: guitarra, piano, baixo, triângulo

Lúcio Vieira: bateria

Carol Panesi: violino


10. De repente

Eulícia: composição

Vidal Assis: voz

Salomão Soares: piano

Maiores informações no Instagram da artista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s