Jack White – Fear of Dawn

Jack White explora variações do rock pesado com muita imaginação e doses saudáveis de excentricidade em novo álbum solo

O guitarrista americano Jack White, conhecido pelos trabalhos desenvolvidos nas bandas The Whites Stripes, The Raconteurs e The Dead Weather, está de volta com Fear of Dawn – quarto álbum solo da carreira, lançado no dia 08 de abril. O trabalho foi gravado ao longo de 2021 e a produção foi realizada pelo próprio artista em seu estúdio localizado na cidade americana de Nashville.  

De sonoridade crua, Fear of Dawn é um álbum repleto de guitarras pesadas e efeitos eletrônicos variados. Além de apresentar a já conhecida influência do garage rock, pode-se perceber que Jack White andou bastante inspirado pelas bandas que lançaram as raízes do heavy metal na década de 70 (Black Sabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Atomic Rooster etc.) e do rock alternativo do início da década de 90. Ademais, como se verá a seguir, há espaço para experimentações sonoras com hip-hop, funk e até dub.

O álbum abre com “Taking Me Back”, um stoner rock que mistura de maneira muito criativa um riff simples e agressivo, levada de bateria “quebrada” e ruídos eletrônicos. O peso continua em “Fear of Dawn”, faixa com senso de urgência que traz nítidas influências do Sabbath.

“The White Raven” mantém a linha acrescentando o punk ao cardápio sonoro. Aqui, algumas passagens de guitarra lembram algo feito pelos experimentalistas do Primus.

Escrita em parceria com o rapper Q-Tip, “Hi-De-Ho” é uma divertida fusão de hip-hop com rock. A faixa traz um sample da canção “Minnie the Moocher”, clássico do lendário cantor e bandleader de jazz Cab Calloway.

“Esophobia” é uma espécie de hard rock espacial misturado com nuances de dub. Ela é retomada mais para frente em “Esophobia (Reprise)”, um recorte da espontânea jam que originou a canção.

“Into the Twilight” é um funk rock psicodélico que explora terrenos percorridos pelo saudoso Prince. Além disso, ela incorpora samples do escritor beat William S. Burroughs e do grupo vocal de jazz Manhattan Transfer.

Em “What’s the Trick”, Jack White incorpora a sonoridade do Rage Against the Machine, principalmente no timbre e nos efeitos da guitarra. Por sua vez, “That Was Then, This is Now” bebe na fonte do rock direto e cru de Detroit.

“Morning, Noon and Night” é uma espécie de cruzamento maluco entre o The White Stripes, Led Zeppelin e Atomic Rooster. As referências “zeppelianas” retornam em “Shredding My Velvet”, canção que encerra o disco resgatando a sonoridade mastodôntica da bateria de John Bonham.

Ao explorar novo ritmos em Fear of Dawn, Jack White se distancia da imagem engessada de revivalista que muitos críticos preguiçosos tentam cravar em sua testa, apresentando um álbum pesado, inventivo e com doses salutares de excentricidade.

Além de Fear of Dawn, o músico anunciou que lançará mais um álbum este ano, trata-se de Entering Heaven Alive, trabalho que apresentará uma verve acústica. A previsão é que o disco chegue às lojas e plataformas de streaming no dia 22 de julho. (Por Álvaro Silva)

FICHA TÉCNICA

Artista: Jack White

Álbum: Fear of Down

Produção: Jack White

Data de lançamento: 08 de abril de 2022.

Gravadora: Third Man Records

Duração: 39m54s

Faixas:

01. Taking Me Back (03:59)
02. Fear of the Dawn (02:02)
03. The White Raven (02:43)
04. Hi-De-Ho (feat. Q-Tip) (03:56)
05. Eosophobia (03:41)
06. Into the Twilight (04:41)
07. Dusk (00:30)
08. What’s the Trick? (03:34)
09. That Was Then, This is Now (03:10)
10. Eosophobia (Reprise) (03:12)
11. Morning, Noon and Night (04:45)
12. Shedding My Velvet (03:41)

Clique aqui para ouvir Fear of Dawn.

Mais sobre Jack White aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s