Guitarristas subvalorizados – Parte I

Quando se fala em heróis da guitarra, alguns nomes são sempre lembrados e reverenciados. Por exemplo, alguém já viu alguma lista desse tipo em que não figuram Jimi Hendrix, Eric Clapton, Jeff Beck, Eddie Van Halen, Jimmy Page ou Brian May? Obviamente, todas as homenagens aos legados criados por esses músicos são merecidíssimas, pois são personagens icônicos da história da música e, de certa forma, pioneiros em muitos aspectos. Entretanto, longe de querer polemizar, existem outros nomes da guitarra elétrica que também merecem uma sorte melhor no que tange ao reconhecimento público.

Nesta primeira postagem, que será dividida em partes, trazemos para vocês alguns exemplos de guitarristas geniais e influentes que deveriam receber um pouco mais de reverência pela obra que criaram. Vamos lá?

Por Álvaro Silva

1. Roy Buchanan

Pouco conhecido pelo grande público, Roy Buchanan foi um grande guitarrista americano de blues que se notabilizou pelo timbre único que extraía de sua surrada Fender Telecaster e por usar com maestria o potenciômetro de volume para criar um efeito sonoro “choroso”, parecido com o som de um violino. Reza a lenda que ele foi listado como um dos possíveis substitutos para ocupar o posto deixado Mick Taylor nos Rolling Stones (como sabemos, Ronnie Wood ficou com a vaga).

Roy Buchanan.

Buchanan influenciou respeitados guitarristas como Gary Moore, Danny Gatton e Jeff Beck. Esse último chegou a  dedicar a música “Cause We’ve Ended As Lovers”, composição de Stevie Wonder presente no clássico Blow by Blow, a Buchanan.

O guitarrista passou a vida lutando contra o alcoolismo e o vício em outras drogas. Cogita-se que ele sofria de transtornos mentais, inclusive depressão. Além da personalidade difícil, o péssimo gerenciamento da carreira artística contribuiu para que ele não obtivesse o devido reconhecimento público.

Infelizmente o fim de Roy Buchanan foi trágico: no dia 14 de agosto de 1988, ele foi preso em razão de uma briga doméstica. Horas depois, ele foi encontrado morto em sua cela. A causa da morte divulgada pelo polícia foi asfixia por enforcamento. Ele tinha apenas 48 anos de idade.

Álbuns essenciais: Roy Buchanan (1972) e Live Stock (1975)

2. Eddie Hazel

Ao lado dos colegas de Parliament-Funkadelic, o guitarrista norte-americano Eddie Hazel foi um dos principais responsáveis por moldar a sonoridade do gênero que ficou conhecido como funk rock, misturando a agressividade e o psicodelismo de Hendrix com o balanço de James Brown e Sly & the Family Stone.

Eddie Hazel.

Os melhores trabalhos de Hazel foram produzidos nos tempos em que integrou o Funkadelic. Aliás, os três primeiros álbuns da banda – Funkadelic (1970), Free Your Mind… And Your Ass Will Follow (1970) e Maggot Brain (1971) – são citados por muitos como o ápice do guitarrista em termos de performance e experimentação. A propósito, um dos momentos antológicos do artista é o solo espacial tocado na canção “Maggot Brain”, faixa instrumental presente no disco que leva o mesmo nome.

Além dos citados trabalhos, Hazel ainda brilharia no álbum solo – Game, Dames and Guitar Thangs, lançado em 1977.

Como aconteceu com muitos colegas de sua geração, os abusos de substâncias entorpecentes impactaram seriamente na carreira e na saúde de Hazel. Ele acabou falecendo no dia 23 de dezembro de 1992, em decorrência de hemorragia interna e falência hepática.

Álbuns essenciais: Maggot Brain (1971) e Game, Dames and Guitar Thangs (1977)

3. Allan Holdsworth

Considerando por muitos músicos como um dos principais nomes da guitarra fusion/jazz rock, o britânico Allan Holdsworth nunca recebeu o merecido reconhecimento por sua obra fora das trincheiras da música instrumental. Antes de se lançar em carreira solo, ele passou pelo grupo Tempest e se destacou nas bandas Soft Machine e no supergrupo U.K. Ele também realizou importantes colaborações em discos dos bateristas Bill Bruford e Tony Williams.

Allan Holdsworth

Holdsworth possuía um estilo muito peculiar de tocar, que incluía o uso de acordes complexos, escalas inusitadas, velocidade, timbres futurísticos e muita improvisação. Ele também foi pioneiro na utilização do SynthAxe, uma espécie híbrida de guitarra e sintetizador.

Ao longo dos anos, guitarristas do quilate de Eddie Van Halen, Joe Satriani, Tom Morello, Alex Lifeson, John Petrucci e Yngwie Malmsteen demonstraram publicamente em entrevistas a admiração que nutrem pelo trabalho de Holdsworth.

Ele morreu de problemas cardíacos no dia 15 de abril de 2017, aos 70 anos.

Álbuns essenciais: I.O.U. (1982) e Metal Fatigue (1985)

4. Robin Trower

Robin Trower, guitarrista britânico de blues rock, está na estrada há sessenta anos. Começou a carreira ainda jovem, em 1962, ao lado do grupo The Paramounts, mas alcançou o sucesso pela primeira vez ao lado do Procol Harum, banda que integrou até 1971, ano em que decidiu sair para buscar novos ares. Entretanto, seu álbum de estreia, Twice Removed From Yesterday, sairia apenas em 1973.

Robin Trower

O estilo de Trower, blues rock com nuances psicodélicas, foi fortemente influenciado por Jimi Hendrix, contudo, ele adicionou toques pessoais ao estilo, executando bends com muita precisão e explorando afinações alternativas. Ademais, ele conseguiu construir um timbre de guitarra muito peculiar utilizando a combinação clássica Fender Stratocaster/Marshall e pedais de efeito.

A obra-prima do guitarrista é o disco Bridge of Sighs (1974). Trabalho que rendeu o sucesso “Day of the Eagle”, além das clássicas “Too Rolling Stoned” e a atmosférica faixa-título.

Fora a mencionada participação no Procol Harum, que rendeu sete discos, ele lançou vinte e cinco álbuns de estúdio como artista solo, gravou três excelentes trabalhos em parceria com o baixista Jack Bruce (Cream) e tocou em trabalhos do vocalista Bryan Ferry (Roxy Music).

Álbuns essenciais: Bridge of Sighs (1974) e Robin Trower Live! (1976)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s