Alice Cooper – Detroit Stories

Em novo álbum de estúdio, o veterano roqueiro revisita os primórdios de sua carreira na cidade de Detroit.

Após uma passagem malsucedida pela cidade de Los Angeles, Alice Cooper e sua banda emergiram para o sucesso participando da cena roqueira da Detroit do final dos anos 60 e início dos 70, que contava com grupos e artistas seminais como MC5, Iggy & the Stooges, Grand Funk Railroad, The Amboy Dukes (banda do guitarrista Ted Nugent), Bob Seger, Mitch Ryder, Brownsville Station e outros. “Detroit Stories” presta tributo a esse período inicial da carreira de Tia Alice, homenageando o rock orgânico proveniente da Cidade dos Motores.

A produção ficou a cargo de Bob Ezrin (Kiss, Lou Reed, Deep Purple, Pink Floyd e outros), velho colaborador que cuidou da gravação dos primeiros trabalhos do artista (e também dos mais recentes). Convidados ilustres como os guitarristas Joe Bonamassa, Wayne Kramer (MC5), Mark Farner (ex-Grand Funk Railroad), o baixista Paul Randolph, o baterista Larry Mullen (U2) e os ex-colegas de banda Michael Bruce, Dennis Dunaway e Neal Smith prestam um auxílio luxuoso ao amigo.    

Ao todo são quinze faixas que apostam na diversidade musical. “Drunk and in Love” tem uma pegada blueseira, “Go Man Go”, “I Hate You” e “Social Debris” são rocks básicos e diretos que flertam com o punk rock, “$1000 High Heel Shoes” é um funk rock com direito a naipe de metais e coro à Motown (clássica gravadora de soul e r&b fundada em Detroit), “Hail Mary” e “Shut Up and Rock” apostam no hard rock tradicional, “Detroit City 2021” relembra com saudosismo a efervescente cena musical da cidade, “Independence Dave” e “Wondeful World” trazem à baila o lado descontraído e teatral do artista, “Hanging On By A Thread” é uma balada motivacional anti-suicídio com declamações e refrão grandioso, a “sixties pop” “Our Love Will Change The World” não chega a ser ruim, mas é pouco atrativa. Além das faixas autorais, o álbum traz versões bem interessantes para “Rock & Roll (Velvet Underground), “Sister Ane” (MC5) e “East Side Story (Bob Seger).

O saldo final é um álbum descontraído, cheio de energia e bem sucedido na proposta de prestar um tributo digno ao período clássico do rock de Detroit. Aproximadamente cinquenta minutos de boa música. Diversão garantida “Kick out the jams, motherfuckers”. (Por Álvaro Silva, rotasongs@gmail.com)

FICHA TÉCNICA

Artista: Alice Cooper

Título: Detroit Stories

Data de lançamento: 26 de fevereiro de 2021

Produtor: Bob Ezrin

Gravadora: earMusic/Shinigami Records (Brasil)

Duração: Aprox. 50m.

Faixas:

1. Rock & Roll
2. Go Man Go (Album Version)
3. Our Love Will Change The World
4. Social Debris
5. $1000 High Heel Shoes
6. Hail Mary
7. Detroit City 2021 (Album Version)
8. Drunk And In Love
9. Independence Dave
10. I Hate You
11. Wonderful World
12. Sister Anne (Album Version)
13. Hanging On By A Thread (Don’t Give Up)
14. Shut Up And Rock
15. East Side Story (Album Version)

Um comentário sobre “Alice Cooper – Detroit Stories

  1. Gostei algo desse álbum, mas enquanto eu tava ouvindo, fui dar uma pesquisada sobre o Alice Cooper e descobri que ele é bem de direita. Acabou me decepcionando um pouco. Concordo basicamente com você, apesar de achar ele um pouco descontraído demais.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s