Deep Purple – Whoosh!

Por Álvaro Silva (rotasongs@gmail.com)

O inoxidável Deep Purple lança “Whoosh!”, um petardo sonoro feito em nova parceria com o produtor Bob Ezrin.

“Whoosh!” é o vigésimo primeiro álbum de estúdio do Deep Purple – o terceiro trabalho consecutivo realizado em colaboração com o produtor Bob Ezrin (Pink Floyd, Kiss, Alice Cooper, Lou Reed, Kansas, dentre outros) – sucedendo os excelentes “Now What!?” (2013) e “Infinite” (2017).

A veterana banda britânica demonstra que ainda possui relevância musical apresentando um hard rock cadenciado com passagens progressivas que remetem ao jazz, blues, música clássica e funk. Aliás, a fusão de ritmos sempre foi um diferencial da banda com relação a muitos de seus contemporâneos da década de setenta – época que marcou o auge da banda.

As canções são instrumentalmente intrigantes e as letras do vocalista Ian Gillan soam poeticamente atuais, com destaque para a crítica ao negacionismo ambiental presente em “Nothing at All”, a antiarmamentista “Drop the Weapon”, as reflexões sobre a transitoriedade da vida em “Throw My Bones” e cenários apocalípticos em “Man Alive”Assim como nos dois últimos discos, o tecladista Don Airey assume o protagonismo proporcionando à banda uma pegada mais progressiva e viajante, vide a sonoridade gótica de “The Power of the Moon” e “Step by Step”

O guitarrista Steve Morse, por sua vez, aparece um pouco contido, mas ainda assim dispara algumas faíscas na instrumental “Remission Possible”, na pesada “No Need To Shout” e na funky “Dancing in My Sleep” (faixa bônus). Já a cozinha comandada pelo baterista Ian Paice e pelo baixista Roger Glover mantém-se impecável e elegante como sempre, oferecendo bases sólidas para cada canção.

Um ponto fraco do disco é a desnecessária releitura para “And The Adress” – música instrumental presente em “Shades of Deep Purple” -, primeira bolachinha lançada pelo grupo no longínquo ano de 1968.

Enfim, se você não é daqueles chatos preconceituosos que a acha que a banda não faz nada digno desde os anos setenta, vivendo em estado permanente de viuvez pela falta do guitarrista Ritchie Blackmore, “Whoosh!” é um disco muito interessante, digno de figurar entre os melhores trabalhos registrados pela banda. (Por Álvaro Silva)

FICHA TÉCNICA

Artista: Deep Purple


Álbum: Whoosh!

Produção: Bob Ezrin

Data de lançamento: 07 de agosto de 2020

Gravadora: earMusic/Shinigami Records (Brasil)

Duração: 51:m31s

Faixas:

01. “Throw My Bones” 3:38
02. “Drop the Weapon” 4:23
03. “We’re All the Same in the Dark” 3:44
04. “Nothing at All” 4:42
05. “No Need to Shout” 3:30
06. “Step by Step” 3:34
07. “What the What” 3:32
08. “The Long Way Round” 5:39
09. “The Power of the Moon” 4:08
10. “Remission Possible” (instrumental) 1:38
11. “Man Alive” 5:35
12. “And the Address” (instrumental) 3:35
13. “Dancing in My Sleep” (Bonus Track) 3:51

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s